0 comments

Para você, ela é aquela coceirinha atrás da orelha quando algo não parece certo; para a filosofia, é um conhecimento metafísico; e, para Albert Einstein, era um dom que as pessoas deveriam usar com mais frequência. Chame como quiser, mas o fato é que todo mundo já recorreu à famosa intuição na hora de tomar decisões – grandes ou pequenas.

E não há nada de errado em usá-la. O importante é aplicá-la nas horas certas e com moderação. Entenda melhor como ela funciona e saiba como usar a intuição a favor do seu negócio:

Desvendando o mistério

Um dos primeiros a entender a intuição como um método foi Henri Bergson. Seu livro A Introdução da Metafísica, de 1903, apresenta a intuição como uma forma de conhecimento. Diferente da análise, que leva ao conhecimento científico, a intuição leva ao conhecimento metafísico.

Mas o que tudo isso quer dizer? Basicamente, que a intuição vem de dentro. Ou seja, para usá-la, é preciso se conhecer muito bem. E é por isso que ela melhora com a prática. Quando você se acostuma a usar a intuição da forma correta no seu dia a dia, é mais fácil entender quando pode confiar nela ou quando deve usar a razão. Para isso acontecer, é preciso prestar atenção em algumas coisas que costumam nos enganar.

Nada de pressa

Quem usa a intuição com frequência pode agir de forma apressada, com base em experiências anteriores. Você pode não se dar conta de que é isto que está acontecendo, mas seu cérebro já fez as associações e pode levar você a agir por impulso. O problema é que às vezes essa associação pode ser feita com uma situação muito diferente da que você está passando.

O que você precisa considerar para escolher uma babá para seu filho, por exemplo, é completamente diferente do que você leva em conta para contratar um novo funcionário. Por isso, especialmente em decisões grandes que você nunca precisou tomar antes, é preciso ter muita calma e pensar em todas as alternativas que você tem.

Usando a intuição a seu favor

Mas como não ser enganada pela intuição? Para Gary Klein, psicólogo norte-americano especialista no assunto, uma decisão precisa passar por sete passos:

  1. Escute melhor. Esteja atenta a tudo o que está em jogo, e tenha toda a informação que você puder antes de decidir algo.
  2. Reflita sobre uma decisão antes de implementá-la. Peça a ajuda de seus sócios, ou de pessoas em quem você confia, para ter certeza de que sua percepção não está sendo afetada por emoções e preconceitos.
  3. Examine seus pensamentos. Eles estão baseados em fatos e evidências concretos ou em sentimentos e opiniões?
  4. Comunique-se. Mesmo que a intuição tenha motivado a sua decisão, é importante que você saiba explicar racionalmente as suas escolhas. Se você tiver dificuldade em convencer seus sócios ou investidores de que aquela realmente foi a decisão certa, pode ter problemas no futuro que atrapalhem seu negócio.
  5. Aprenda a reconhecer e a interpretar suas emoções. Você não gostou do fornecedor porque ele não lhe passou confiança, ou porque ele parece com aquele fornecedor antigo que não fez as entregas?
  6. Crie um ambiente de aprendizagem. A intuição melhora com a prática, por isso é importante construir um ambiente de trabalho que tolere erros. Assim, você e sua equipe vão se sentir encorajados a aplicar a intuição no trabalho, tomando decisões cada vez melhores. Seu negócio só tem a ganhar.
  7. Faça um estudo do caso. Você já esteve em uma situação parecida? Quais foram os resultados da sua decisão na época? Observando esses padrões, seu cérebro melhora os processos de tomada de decisão, aplicando a intuição na hora certa.

Na correria de quem precisa administrar uma empresa, cada momento é valioso. Mas decisões tomadas impulsivamente podem atrasar, e muito, o futuro do seu negócio. Por isso é preciso ter calma e encaixar esses passos na sua rotina.

Nos negócios, como em tudo na vida, o melhor caminho é buscar o equilíbrio. Aprenda a escutar o que a sua coceirinha atrás da orelha quer dizer e não tenha medo de apostar nela de vez em quando.

 

Para você ficar mais segura:

Livros: Rápido e devagar: duas formas de pensar – Daniel Kahneman

Fontes do Poder: o modo como as pessoas tomam decisões – Gary Klein

The Power of Intuition: how to use your gut feelings to make better decisions at work (sem tradução para o português) – Gary Klein

Artigo: Should intuition be running your business? Yes… And No – Forbes

Comentários

Posts Relacionados

No final de 2015, a ONU divulgou uma lista de 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Metas...

Quais são as suas prioridades enquanto empreendedora? Não é fácil responder essa pergunta, certo?...

Você passa o dia inteiro com a sensação de que não tem tempo para fazer tudo o que precisa? Quando...