As mães precisam ser valorizadas no ambiente de trabalho

Eu sei / Eu sou  /   / Por Mulheres Seguras  /  Por
0 comments

Mais de 40% das mulheres altamente capacitadas interrompem suas carreiras pela maternidade. Algumas por escolha, mas muitas pela falta de perspectiva dentro das organizações. Mas isso não precisa ser assim. Desde março de 2017, a publicitária Luciana Cattony e a engenheira e especialista em RH Susana Zaman estão à frente do Maternidade nas Empresas, uma iniciativa criada para apoiar as mães nessa volta ao mercado de trabalho. E mais do que isso: mostrar que essas mulheres se tornam profissionais ainda melhores, e que é um diferencial importante tê-las em qualquer contexto corporativo.

CONTINUAR LENDO

Tudo começou quando a maternidade inspirou as duas, antes executivas, a empreenderem. Luciana é a criadora do Real Maternidade, que há 5 anos aborda o universo da maternidade, e Susana é a idealizadora da Nutrimãe, o primeiro clube de assinaturas voltado para mães. A vivência nas empresas em que trabalharam e expertise de lidar com mães em seus negócios mostrou às duas que muitas empresas perdiam grandes e importantes talentos porque não sabiam acolher quem voltava da licença maternidade.

“Grande parte das empresas não estão preparadas para acolher mulheres nessa nova fase de vida.”

O Maternidade nas Empresas oferece soluções como palestras, treinamentos e criação de conteúdo que ajudam equipes de diversas empresas a perceberem que a maternidade pode inspirar um ambiente de trabalho mais engajador, produtivo e feliz. “Como consequência, nós ajudamos também a promover a diversidade na corporação e a retenção de talentos”, acrescentam as empreendedoras. As ideias que as empreendedoras já compartilharam com mais de 4 mil profissionais têm sido muito bem recebidas. “Temos como feedback depoimentos emocionados de colaboradores que se identificam com o conteúdo, e também da liderança que deseja espalhar esse olhar para todos os níveis da organização”, afirma Luciana.

“As mães estão contribuindo para o desenvolvimento de novos seres humanos e se desenvolvendo enquanto pessoas e profissionais.”

O que muitas organizações não percebem é que, na verdade, elas têm muito a ganhar com uma funcionária mãe. “A maternidade desenvolve na mulher habilidades (ou soft skills) que podem ser usadas inclusive na vida profissional: esforço e sacrifício, gestão de recursos, comunicação, liderança, capacidade de improviso, de assumir risco, etc”. Não é à toa que o slogan do Maternidade nas Empresas é “Nenhum MBA ensina tanto”.

Screen Shot 2018-05-22 at 6.25.07 PM

Como mães e empreendedoras, Susana e Luciana sabem bem que essa nova fase demanda alguns desafios para a mulher. E, para as duas, o segredo para conseguir conciliar vida profissional com vida pessoal e vida de mãe é procurar lidar com as coisas de forma mais leve, sem tantas cobranças. “É preciso escolher do que não abrimos mão de fazer e delegar o restante, pelo menos por uma parte do tempo. Escolher do que abrir mão é tão importante quanto priorizar”. Esse é justamente um tipo de aprendizado que toda mulher acaba tendo nessa fase, e que é valioso para o dia a dia em uma empresa.

E se depender dessas empreendedoras, cada vez mais organizações irão valorizar essa verdadeira pós-graduação chamada maternidade. “Nossa missão é apresentar este novo olhar dentro das empresas, despertando consciência e orgulho não somente das mães, como de todos os colaboradores.”

RECOLHER

 

Comentários

Posts Relacionados

Tornar-se mãe é mudar de perspectiva. As prioridades mudam e até mesmo o jeito de olhar o mundo,...

Marcia Manfrin é dona da Apetit Serviços de Alimentação, uma das maiores administradoras de...

A história da Maíra Liguori com o feminismo começou como a da maioria das mulheres: com um...

Leave a Reply