0 comments

Já ouviu falar em um travesseiro que ajuda na troca de fraldas dos bebês? Ou em um software que mede suas emoções? E que tal uma produtora de vídeo com foco no YouTube? É bem provável que esses negócios sejam novidade para você, mas eles existem, e surgiram das mentes de mulheres.

Medidor de emoções

Nas conversas pelo computador, ninguém é capaz de saber como você realmente está se sentindo. O mais próximo que chegamos de mostrar nossas emoções é enviando emoticons, mas nem sempre um :-) significa que você está, de fato, feliz. Com isso em mente, as pesquisadoras Rana el Kaliouby e Rosalind Ricard fundaram a empresa Affectiva. Quando se mudou do Egito para a Inglaterra, Rana percebeu que passava mais tempo na frente do computador do que com outras pessoas, e se sentia sozinha. Foi assim que surgiu a ideia, como ela contou no TED Talk. Depois de várias pesquisas, Rana e sua equipe criaram um software que identifica e mede emoções com base em expressões faciais e respostas fisiológicas. Até então, a equipe de Rana coletou 12 bilhões do que ela chama de “pontos de dados de emoções”, de 2,9 milhões de voluntários em 75 países. Além de emoções mais fáceis de identificar, o software também mede prazer, surpresa, empatia e curiosidade.

Rana comenta sobre a importância das mulheres inovarem nos negócios: “Levando em conta que quase metade da população mundial é do sexo feminino, é fundamental que o mundo ao nosso redor também seja planejado, projetado e implementado por mulheres, e não apenas homens. Jovens mulheres vão querer fazer disso suas carreiras se tiverem modelos femininos que possam emular. Eu quero ser tal modelo”.

Travesseiro interativo

snuggwugg

Depois de ter uma filha, em 2011, Lisa Cash Hanson descobriu que trocar fraldas podia ser um verdadeiro pesadelo. Várias noites em claro, com a filha chorando por causa de cólicas, fizeram com que Lisa inventasse o Snuggwugg. O travesseiro interativo distrai os bebês principalmente na hora de trocar as fraldas, mas de acordo com Lisa, ele também é ótimo para passeios e viagens. Ele vem com um bolso em que os pais podem colocar cartões coloridos, brinquedos ou até smartphones para chamar a atenção dos pequenos.

Produtora de vídeos para YouTube

Fotos MPQuatro-7

Simplificar o processo de produção de vídeo. Foi com esse sonho que Greta Paz decidiu abrir a MPQuatro. “Trabalhei em grandes produtoras e o trabalho envolvia muita gente, grandes equipes, e era tudo muito demorado. Muitas vezes os clientes ficavam insatisfeitos”, comenta Greta. Foi aí que ela decidiu criar um novo modelo para atender pequenas e médias empresas, junto com um sócio. Isso fez com que a MPQuatro se tornasse a primeira empresa brasileira voltada a produções de conteúdo e estratégia para YouTube. “Vejo um movimento de mulheres assumindo direção, produção e cargos maiores, e vejo isso com muito gosto”, conclui Greta.

Cursos online

Você já ouviu falar na FazINOVA? É uma plataforma que oferece cursos gratuitos e online para empreendedores desenvolverem habilidades e talentos. O projeto foi criado por Bel Pesce, que também é fundadora da Kickante, uma plataforma de financiamento coletivo. A principal missão da plataforma de cursos é descobrir, desenvolver e conectar pessoas talentosas do Brasil. Bel estudou no renomado Massachusetts Institute of Technology (MIT) e já escreveu três livros. Seu trabalho e empreendedorismo fizeram com que ela fosse eleita uma das “100 pessoas mais influentes do Brasil”, pela Revista Época, e um dos “30 jovens mais promissores do Brasil”, pela Revista Forbes.

Papinha saudável

As papinhas que a gente encontra no mercado são processadas, o que faz muitas mães pensarem duas vezes antes de oferecê-las aos seus filhotes. Foi isso que fez com que Maria Fernanda Rizzo criasse o Empório da Papinha. Sua empresa fabrica produtos naturais e saudáveis para bebês e poupa tempo de pais e mães que querem aproveitar os pequenos. E, com isso, ela também ganhou mais tempo para passar com sua filha. Assista à história dessa empreendedora:

Mecânica para mulheres

O que uma pessoa formada em sistemas de informação tem a ver com uma oficina mecânica? Depois de ter problemas com os serviços de um mecânico, Agda Oliver resolveu fazer um curso e aprender sobre o assunto. Foi assim que surgiu a Meu Mecânico, uma oficina voltada para mulheres. O grande diferencial da empresa é oferecer cuidados às clientes, como massagens, limpeza de pele, manicure e pedicure. Agda também tem um blog, em que dá dicas sobre mecânica.

O que essas histórias têm em comum é que todas partiram de experiências do dia a dia. Se você está em busca de inspiração, comece a olhar ao seu redor e se perguntar: o que você gostaria que existisse? Aposto que ao longo da vida você já teve muitas ideias e, como vimos nos exemplos acima, é possível colocá-las em prática. Para isso, o primeiro passo é colocar sua ideia no papel – estruture e planeje os estágios da sua futura empresa. Depois conte para gente qual foi o resultado.

Comentários

Posts Relacionados

Há três anos, a ONU criou o Dia Mundial do Empreendedorismo Feminino, comemorado em 19 de novembro,...

Novas tecnologias, novos modelos de negócio, novos comportamentos. Tudo isso tem um impacto sobre...

Ficar horas ouvindo a música de espera do call center, ficar sem resposta, ser atendida por pessoas...