0 comments

Então você finalmente encontrou a coragem e o apoio para tirar suas ideias do papel e colocar seu tão sonhado negócio no mercado. Você certamente sabe que produto ou serviço vai vender, mas sabe quem vai comprá-lo? A resposta para essa pergunta pode ser mais complexa do que parece. Ela requer muita pesquisa, criatividade e algumas sessões de brainstorming com seus parceiros.

Se você ainda não fez uma boa definição do seu público-alvo, pare tudo o que está fazendo: essa precisa ser uma das prioridades para quem está começando um negócio. Ela é importante porque será a base para muitas outras definições que movimentarão o dia a dia do seu negócio, como a comunicação do seu produto. Afinal, de nada adianta falar sobre o seu serviço para quem não precisa dele, não é? Para que isso não aconteça, siga as nossas dicas:

Pesquise, pesquise, pesquise

Muito do que você pode descobrir sobre o seu público-alvo já está disponível na internet, em pesquisas, artigos e outros materiais. Por isso, antes de tentar construir sozinha o que você entende sobre essas pessoas, busque o que você já encontra pronto sobre elas. Para guiar essa pesquisa, é importante ter um plano de negócios pronto, com objetivos claros. É a partir dele e do seu produto que você vai entender quem se beneficiará com seu negócio, e, portanto, se interessará pelo que você tem a oferecer.

Se você perceber que, mesmo depois desse levantamento, ainda faltam dados importantes sobre o comportamento de consumo do seu público-alvo, investir na sua própria pesquisa pode ser uma boa alternativa. E existem opções simples e baratas para você fazer isso, como as ferramentas de questionário Google Forms e SurveyMonkey. O importante é garantir que o questionário se mantenha curto e direto e que ele alcance as pessoas certas. Uma ótima forma de fazer isso é pedir ajuda para aquele amigo que se enquadra no público do seu negócio, para que ele compartilhe o questionário com seus conhecidos.

Crie o perfil do seu cliente

Depois de levantar todos os dados do seu público-alvo, chegou a parte mais divertida desse processo, e a que vai ajudar você a tomar muitas decisões no futuro. A ideia é que você crie um perfil semificcional com a descrição de uma pessoa que reúne todas as características do público que vai comprar os seus produtos, ou, como é nomeado no marketing de conteúdo, uma buyer persona.

Uma persona é definida tanto por informações demográficas – nome, gênero, idade, cidade, estado civil, salário, classe social, ocupação – quanto por informações psicográficas, como interesses, hobbies, valores, estilo de vida e atitudes. Estas são algumas das perguntas que você precisa responder na descrição:

  • Quem é ela/ele?
  • Como ela/ele passa um dia típico?
  • O que ela/ele faz no fim de semana e nas férias?
  • Que problemas ele/ela encontra no seu dia a dia?
  • O que ela/ele gosta de comprar?
  • Como ela/ele compra (por impulso / pelo celular / pesquisa na internet e compra em lojas físicas)?
  • Como ela/ele se informa (qual revista / qual site / qual rede social)?

É nessa descrição que você irá encontrar respostas para definir em quais canais você deve investir na comunicação da sua empresa, como deve ser o atendimento e a apresentação do seu negócio, e até quais podem ser os seus próximos produtos. O importante é deixar esse documento sempre à mão, quem sabe até o imprimindo e colando na parede do escritório, para que você volte a consulta-lo e atualiza-lo.

Continue aprendendo com seu público

A preocupação com o público-alvo não deve acontecer somente no período de implementação do negócio – essa relação precisa ser construída e fortalecida a cada dia de trabalho, cada compra, cada mensagem no Facebook. Para isso, é importante estar em sintonia com os interesses e o comportamento dos seus clientes, além de, claro, sempre se mostrar aberta a ouvir o que eles têm a dizer.

Mantenha uma imagem positiva com a ajuda de um seguro empresarial

Para garantir que a relação da sua empresa com seus clientes fique livre de problemas, ter o apoio de um seguro empresarial pode ser de grande ajuda. Seguros de riscos patrimoniais como os da Liberty Seguros são personalizados para cada tipo de negócio e salvam você nos momentos difíceis – evitando, por exemplo, que a encomenda de alguém não chegue a tempo por causa de um roubo ou um acidente na estrada, ou que você perca a confiança de um cliente que teve o carro danificado no seu estacionamento.  

O bom é que a contratação de apenas um produto desse tipo, como o Liberty Cafeterias e Docerias, ou o Liberty Salões de Cabeleireiros,  já abrange uma série de coberturas, que não só ajudam você a resolver problemas com mais agilidade, como também protegem o patrimônio de sua loja ou escritório. Assim, você evita prejuízos desnecessários para a sua empresa e não corre o risco de perder a confiança do seu público, que você lutou tanto para conhecer e conquistar.

E agora, pronta para conhecer de verdade quem serão os maiores fãs do seu empreendimento?

 

Para você ficar mais segura:

Livros: Buyer Personas – Adele Revella

Artigos: Como definir o público-alvo para sua empresa? – Endeavor

How To Develop Your Buyer Persona And Reel In Better Customers – Forbes

 

Comentários

Posts Relacionados

Seja qual for o ramo em que você decidiu empreender, provavelmente há inúmeras novas ideias para o...

Que uma empresa precisa estar presente nas redes sociais já é, com certeza, notícia velha para...

Infelizmente, as mulheres ainda têm mais dificuldades para conseguir investimento para suas...

Leave a Reply