0 comments

Que mensagem você quer passar para o mundo? Nem todos têm a resposta para essa pergunta na ponta da língua, mas esse não é o caso da Bárbara Mattivy, co-fundadora e sócia da Insecta Shoes. Muito mais do que uma marca de sapatos, a Insecta já é, com seus dois anos e meio de existência, reconhecida no Brasil e no mundo como referência em sustentabilidade e reaproveitamento de materiais.

Os produtos da Insecta Shoes, todos veganos, são produzidos a partir do upcycling, o método de transformar materiais que já existem em produtos novos, sem que eles precisem passar por um processo de reciclagem. Ou seja, cada sapato ou sandália da Insecta já foi uma toalha de mesa, uma calça que alguém não quis mais usar, ou um vestido que foi garimpado de um brechó. Cada peça da marca já nasce com uma história, e foi assim também que a Insecta Shoes nasceu: da junção de duas histórias.

Não foi por acaso que Bárbara resolveu abrir a própria empresa. “Sempre tive a sementinha de empreendedorismo na minha família”, conta ela. Formada em administração na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, a paixão por marketing e moda sempre guiaram a sua carreira, o que a motivou a fazer uma pós em Comunicação de Moda no Instituto Europeu de Design, em Milão. Depois de algum tempo trabalhando com moda no exterior, Bárbara teve sua primeira experiência com o empreendedorismo, quando virou sócia de uma agência de conteúdo em Porto Alegre. Mas depois de três anos, a empreendedora sentiu que precisava mudar de rumo. “Não via mais sentido em comunicar produtos em que eu não acreditava”, reflete ela.

Foi aí que Bárbara decidiu unir seus conhecimentos de autodidata em desenvolvimento de sites e sua paixão por moda para abrir o brechó online Urban Vintagers. Foi pelo brechó que ela se aproximou de Pamela Magpali, dona de uma marca de sapatos feitos com excedente de couro. Bárbara tinha os tecidos e o olho para encontrar estampas diferentes. Pamela tinha a prática em reaproveitar os materiais e a forma dos sapatos. Esse encontro deu origem aos primeiros modelos da Insecta, que foram vendidos como água no site da Urban Vintagers – nesse link do antigo tumblr do brechó, ainda é possível ver o comecinho da Insecta Shoes.  

“Vendemos quase tudo num dia só” – conta Bárbara, ao relembrar o momento em que percebeu que aquela era a oportunidade perfeita para elas criarem uma nova empresa. E foi o que aconteceu. No começo de 2014, os sapatos veganos da Insecta Shoes ganharam seu próprio e-commerce, e a identidade que têm hoje. Na mesma linha do já conhecido logo de besouro da marca, cada modelo de calçado traz o nome de uma espécie de inseto diferente: a paixão das criadoras da Insecta. Em abril de 2015, elas abririam a primeira loja, em Porto Alegre, e em fevereiro de 2016, Bárbara se mudou para São Paulo e abriu a segunda loja da marca.

InsectaShoes

“A visão que as pessoas têm da marca é muito diferente da que a gente tem botando a mão na massa, carregando caixas todos os dias”

A mudança para São Paulo não foi a primeira que aconteceu na vida da Bárbara depois da Insecta. Logo no começo do negócio, a empreendedora imigrou para o Canadá, mudança que já estava sendo planejada há algum tempo. Depois de um ano e meio no país, ela acabou voltando. “Ficou muito difícil tocar uma empresa nova à distância. Tive que voltar e repensar os meus objetivos”, afirma.

O time da Insecta também já sofreu algumas mudanças nesses quase três anos. Um ano depois do lançamento, Bárbara e Pamela tiveram um reforço na administração da marca: Laura Madalosso, amiga de Bárbara há alguns anos, entrou na sociedade. “A gente já conversava há um tempo, trocava frustrações e felicidades, e ela estava buscando um propósito”. Hoje, Laura foca mais na criação do produto, Bárbara cuida do Marketing, e Kento Kojima – o terceiro sócio, que entrou depois de Pamela se mudar para o interior e deixar a Insecta – assumiu as questões administrativas da empresa, que hoje conta com 11 funcionários no total.

“A gente não quer só vender sapatos. Queremos, através da venda dos sapatos, conscientizar e engajar as pessoas”

InsectaShoessapato

Apesar das mudanças no time, a mensagem da Insecta é muito clara e continua cada vez mais forte. A preocupação com sustentabilidade se reflete não apenas nos produtos da marca, mas em todos os aspectos da empresa. Todas as entregas dos sapatos em Porto Alegre são feitas de bicicleta, e todos os móveis das lojas são de segunda mão. Até mesmo a loja virtual da Insecta Shoes segue os princípios de seus sócios, com o selo ambiental Site Sustentável. As visitas ao e-commerce são convertidas no plantio de árvores da Mata Atlântica, para repor as emissões de CO2 causadas pelo servidor do site.  

Com textos no blog da marca, Bárbara e os sócios também buscam conscientizar outras pessoas sobre upcycling, veganismo e empreendedorismo sustentável. “A gente enxerga que é muito nosso papel plantar essa sementinha na cabeça das pessoas”, afirma Bárbara.

A Insecta também incentiva seus clientes a devolverem os sapatos da Insecta usados para eles não pararem no lixo. “Já estamos no ciclo de pós-consumo do produto”, explica Bárbara, que conta que, com esses calçados, é organizado um brechó com parte do valor das vendas doado para causas sociais.

Hoje, vivendo a sua terceira experiência como empreendedora, Bárbara já aprendeu muito: “É preciso ter muito autoconhecimento, e também empatia, para conseguir trabalhar com cada equipe se colocando no lugar do outro”, aconselha ela. Todo esse conhecimento, unido com a vontade de melhorar o mundo, vão com certeza ajudar os besouros da Insecta a voarem cada vez mais longe.

E esses são mesmo os planos dos sócios. Bárbara, Kento e Laura planejam a internacionalização da marca para o final de 2016. O primeiro grande passo para essa conquista já foi dado: em novembro de 2015, a marca ganhou o prêmio Most Talented New Designer no PETA Vegan Fashion Awards, ao lado de marcas do mundo todo. O prêmio já trouxe resultados incríveis: até a conhecida atriz da saga Harry Potter, Evanna Lynch, já usou um par da Insecta no tapete vermelho. Nada mau, não é?

EvannaLynch

Comentários

Posts Relacionados

Gabriela Corrêa nunca se intimidou com profissões comumente associadas aos homens. Depois de...

Quando se formou em Direito no interior do Rio Grande do Sul, a única certeza que Aldrey Zago tinha...

Empreender não esteve sempre nos planos de Andrea Krueger. Durante a faculdade de jornalismo, ela...

Leave a Reply