0 comments

Há alguns anos, elas não imaginavam que seriam chefes e, muito menos, que teriam a própria empresa. Mas depois de um sonho em comum, algumas mudanças de planos e uma equipe de parceiros e funcionários pela qual já passaram quase 10 pessoas, Luisa (Luli) Potrich, relações públicas, e Fernanda (Fê) Rosa, publicitária, são sócias-diretoras (e chefes) no The Beauty 247.

Tudo começou com uma frustração. Dois dias antes de uma festa de 15 anos, a profissional que faria os penteados e maquiagens da Luli e da sua família desmarcou o serviço. Na correria, elas acabaram chamando uma pessoa que não conheciam, e o resultado foi decepcionante.  “Não há nada pior do que pagar por um serviço e não se sentir bem com ele”, conta ela. A experiência a fez pensar em como seria útil ter um único lugar que reunisse cabeleireiros e manicures de qualidade para que não acontecessem problemas como o que ela passou.

Foi aí que ela se lembrou da Fê. As duas não eram amigas próximas, mas haviam feito juntas um curso de branding e trabalhado bem juntas. Elas se encontraram, trocaram ideias, e o The Beauty começou a tomar forma. A proposta do negócio é o sonho de muita gente: um site que reúne profissionais de beleza do Brasil inteiro, e onde é possível avaliar o trabalho desses profissionais e escolher qual serviço contratar de acordo com o preço que você está disposto a pagar e com a sua agenda – e o atendimento é feito na própria casa do cliente.

“Tudo foi tomando uma proporção muito maior do que a gente imaginava, e tivemos que nos adaptar.”

Quando a ideia foi definida, as meninas queriam ver logo as coisas se concretizando. Um pouco pela falta de experiência com administração e um pouco pelo tamanho do sonho, no começo as meninas planejavam o The Beauty 247 como um negócio global. Seria o próximo Uber em poucos meses! Mas o tempo e os obstáculos que vieram com ele, ensinaram elas a terem paciência e jogo de cintura para mudar os planos.

Logo depois da primeira conversa que tiveram, a dupla já passou a buscar um desenvolvedor para o site. Luli e Fê logo perceberam que terceirizar o desenvolvimento seria muito caro, então tomaram a primeira grande decisão de muitas que viriam pela frente: formar uma equipe própria.

“Procuramos ser chefes melhores do que os que já tivemos.”

Depois de alguns meses de planejamento e refinamento do plano de negócios e do estudo de mercado, as meninas tiveram um susto: o profissional responsável por desenvolver o site saiu de um dia para o outro. O desenvolvimento ficou algum tempo parado, porque não é fácil encontrar alguém com experiência e que tope um salário limitado de uma empresa que está começando.

Depois de algumas conversas, a dupla resolveu dar a chance para uma outra dupla que estava começando: Vítor e Carlos, recém-formados e sem muitas experiências, mas com muita vontade de aprender. A aposta deu certo e foi uma inspiração para as próximas contratações. “Hoje buscamos pessoas novas, que tenham vontade de trabalhar, assim como a gente”, conta Luli. É o que pensaram na hora de escolher as duas estagiárias que trabalham com o design e o conteúdo. Elas trabalham voluntariamente e aproveitam a experiência para completar a disciplina de estágio monitorado da faculdade.

“Aprendemos que é essencial conhecer as pessoas que estão aqui dentro.”

A experiência de ser chefe de primeira viagem tem trazido tantos ensinamentos quanto a de ter a primeira empresa. Aos poucos, Luli e Fê perceberam que Carlos, um dos desenvolvedores, estava sempre na correria e preocupado com outros compromissos. Como morava num bairro afastado da cidade, ele levava duas horas para chegar ao trabalho e, depois da equipe conversar, eles chegaram à conclusão de que o trabalho seria mais produtivo se os meninos do site trabalhassem de casa. “Foi a melhor coisa que a gente fez. Até hoje procuramos conversar com todo mundo e entender qual é a melhor forma de trabalhar. Se alguém não está conseguindo criar aqui dentro, pode ir para casa e trabalhar de lá”, explica Luli, que já percebeu o bem que trocar de ambiente faz pela criatividade, como dissemos aqui.

Depois de pouco mais de um ano desde a primeira reunião, o site completo com sistema de pagamento e todo o banco de profissionais disponível para os usuários está prestes a ser lançado, mas isso não quer dizer que o projeto ficou parado todo este tempo: muito pelo contrário. Fernanda, a publicitária da dupla, passou os últimos seis meses recrutando e dando consultoria para os mais de 400 profissionais que já estão cadastrados no The Beauty 247. “Desde o início, priorizamos a qualidade do trabalho e a fidelidade deles”, conta Fê, que já deu até dicas sobre preço dos serviços para os profissionais. Uma parte desse trabalho foi bastante divertida: para avaliar e divulgar a qualidade das maquiagens, penteados e cortes, as meninas foram cobaias em alguns ensaios fotográficos de produção.

Luli_thebeauty247

Mais recentemente, as duas começaram também a trabalhar na comunicação com os clientes – e com parceiros. Com uma newsletter que traz dicas de beleza toda a semana, já conseguiram reunir um mailing de mais de 600 pessoas – que saberão do lançamento oficial em primeira mão. E a proposta de fazer conteúdo deu tão certo, que a equipe conseguiu patrocínio de empresas, algo que elas não esperavam que aconteceria no começo do projeto, mas que só contribui para que a marca fique conhecida e para que o projeto da dupla saia do chão.

Tanta coisa já aconteceu, que até parece que o negócio de Luli e Fê tem bem mais do que um ano. Depois de algumas surpresas, várias mudanças de planos e muito trabalho em equipe, as meninas hoje sonham com o futuro do The Beauty 247 com o olhar mais maduro e os pés um pouco mais próximos do chão, mas com o mesmo brilho nos olhos. E continuam fazendo planos para aprender e conquistar ainda mais nessa grande escola que é o empreendedorismo.

Comentários

Posts Relacionados

Você já parou para pensar na quantidade enorme de mudanças que presenciamos nos últimos anos? Não é...

Não existe momento melhor para tirar os projetos do papel do que o início de um novo ano –...

O empreendedorismo feminino é um movimento importante para a independência e o empoderamento das...

Leave a Reply